30 anos Fenavist

Fenavist se reúne com Ministério da Justiça
25 de fevereiro de 2019
Fenavist será homenageada pela Câmara dos Deputados
8 de março de 2019

Em três décadas de atuação, a Federação tem se destacado pelo trabalho incansável em busca do fortalecimento e desenvolvimento do setor

No início de 1989, o telefone da advogada Celita Sousa tocou. Do outro lado da linha estava o empresário e ex-senador Eunício Lopes de Oliveira. Ele queria por em prática uma ideia nascida em 1982, durante o I Encontro Nacional de Empresas de Vigilância, Asseio e Conservação, realizado na capital do Paraná, Curitiba. O hiato de sete anos tinha uma explicação: impedimentos da legislação vigente.

Eunício pediu orientação e assistência jurídica. “Respondi ao Eunício que sim, mas que seriam necessários no mínimo cinco sindicatos da atividade devidamente registrados. Ele me respondeu que já havia quatro sindicatos registrados, e passou a buscar registros de outros sob a minha orientação”, relembrou Celita Sousa em entrevista à Fenavist por ocasião dos 25 anos da Federação.

Orientações seguidas, o grande momento chegou. No dia primeiro de março de 1989, às 14h, na Avenida Pacaembu número 1992, em São Paulo, nascia oficialmente a Federação Nacional dos Sindicatos das Empresas de Segurança, Vigilância e Transporte de Valores (Fenavist), que depois viria a se chamar Federação Nacional das Empresas de Segurança e Transporte de Valores.  

A Assembleia de fundação foi presidida por José Luiz Nogueira Fernandes, então presidente da Associação Brasileira das Empresas de Vigilância e Segurança (Abrevis) e teve como membros fundadores os sindicatos do Rio Grande do Sul, do Paraná, de São Paulo, do Rio de Janeiro, de Minas Gerais, do Ceará, de Pernambuco e do Distrito Federal, além da própria Abrevis e da Associação Brasileira das Empresas de Transporte de Valores (ABTV).

A primeira diretoria eleita por unanimidade teve como presidente Eunício Lopes Oliveira. Nas vice-presidências Alberico Pessoa Calmon, Carlos Cure, Edmar Batista Moreira, Gaudêncio Gonçalves de Lucena, José Alberto Lupo de Andrade, Manoel Jair dos Santos, Osmar Salvado Lima e Percival Aracema. Renato de Paula de Almeida foi eleito diretor-financeiro; Honório Pereira de Carvalho, tesoureiro; e Francisco Augusto de Lima Freitas Carillo, diretor-jurídico. Já o conselho-fiscal ficou a cargo de Francisco Autran Martins, Luiz Caldas Milano, Gibson de Sousa Leite, Luiz Carlos Rigo, Miguel Novaes da Silva, Wagner Antônio Rodrigues. Os cargos de representantes junto à Confederação Nacional do Comércio (CNC) ficaram sob a responsabilidade de Eunício Lopes Oliveira, Edmar Moreira, Alberico Pessoa Calmo e Manoel Jair dos Santos.

Fundada a Federação, agora era preciso se estabelecer, dar o pontapé inicial nas atividades da Fenavist. Por uma questão estratégica, Brasília foi escolhida para sediar a nova entidade. Assim, o primeiro presidente, Eunício Oliveira, começou a desenvolver as ações na sala 449 do Edifício Venâncio 2000, na Capital Federal. 

Após a gestão Eunício Oliveira, foi a vez do empresário goiano Lélio Vieira comandar a Fenavist. O novo presidente tinha uma missão: tornar a estrutura da Federação física e de pessoal mais sólida, além de estreitar o relacionamento com os sindicatos, órgãos reguladores e contratantes. Em sua gestão, incentivou a criação e a regulamentação de sindicatos em diversos estados, regularizou a Federação perante o Ministério do Trabalho e Emprego e a Confederação Nacional do Comércio (CNC).

Em 1998, foi a vez de Cláudio Neves que passou a presidir a Fenavist. Ao assumir a federação já estruturada e organizada por seus predecessores, ele elegeu suas metas: Conquistar novos associados, diminuir as dificuldades de ordem política interna da Federação e transferir a sede para dentro da Confederação Nacional do Comércio.

Foi na gestão de Cláudio Neves, iniciada em 1998, que a federação, pela primeira vez em sua história, contou com uma mulher em seu quadro de diretores. A empresária do Espírito Santo, Neila Nara Neiva, também a primeira presidente de um sindicato, assumiu o cargo de vice-presidente para Assuntos Sociais.

Quarto presidente da Fenavist, Jerfferson Simões também foi o que permaneceu mais tempo no cargo. Foram 10 anos entre 2000 e 2010. O grande desafio dele foi consolidar de vez a entidade no cenário nacional e expandir a atuação da entidade além das fronteiras do Brasil. Sob o comando dele foram lançados o Custo Unitário Básico (CUB), o Estudo do Setor da Segurança Privada (ESSEG), o Encontro Nacional das Empresas de Segurança Privada e o Projeto Fenegócios, atualmente Fenavist Negócios, e os prêmios Mérito e Benemérito da Segurança Privada Nacional.

Após uma década sob a presidência de Simões, em 2010 chegou a hora de uma nova mudança. Para essa missão foi escolhido o empresário baiano Odair Conceição. Tendo na ousadia uma das suas principais marcas, Odair assumiu a entidade pensando grande. E sem medo de trabalho, elencou junto com a diretoria 58 metas para perseguir ao longo do mandato, e a luta intransigente em defesa dos direitos da atividade foi a principal bandeira. Essas metas foram desdobradas em centenas de ações que, em quatro anos, trouxeram grandes resultados.

Em 2014, o empresário paranaense Jeferson Nazário assumiu a presidência da Fenavist. Além de dar continuidade ao trabalho desenvolvido pela entidade, ele tinha como principal objetivo a aprovação do Estatuto da Segurança Privada. A nova legislação, que aguarda votação no plenário do Senado, será responsável por modernizar o segmento, dar maior controle a Polícia Federal, aumentar o combate a clandestinidade além de criar novos nichos de mercado.

Comemorações

No próximo dia 18 de março, às 9h, a Fenavist será homenageada pela Câmara do Deputados em Sessão Solene. Um reconhecimento a importância e contribuição dada pelo segmento à sociedade. Na oportunidade, a Federação irá homenagear o vigilante mais antigo do Brasil.

As celebrações continuam no dia 19. Pela manhã, será realizada uma grande reunião de diretoria em Brasília. Já no período da noite, ocorrerá a grande Festa de Comemoração dos 30 anos da Fenavist.

Também fará parte da programação o XXXV Encontro do Grupo de Executivos dos Sindicatos de Empresas de Asseio e Segurança (Geasseg). Durante os dias 18 e 19, executivos de sindicatos de todo País estarão reunidos para trocar informações e buscar soluções para problemas em comum.

Confira algumas das conquistas do segmento e da Fenavist

1982 – I Encontro Nacional de Empresas de Vigilância, Asseio e Conservação, realizado no dia 18 de maio de 1982, em Curitiba-PR – Encontro embrionário da Fenavist e da Febrac.

1983 – Aprovação da Lei 7.102 /1983.

1989 – No dia 1º de março de 1989, em São Paulo-SP, é criada a Fenavist. Eunício Oliveira é eleito o primeiro presidente da Federação (1989-1992).

1992 – Lélio Vieira Carneiro é eleito presidente da Fenavist (1992-1997). Gestão marcada pela criação de novos sindicatos e organização da estrutura física e pessoal da Federação.

1994 – É criado o Grupo de Executivos dos Sindicatos de Empresas de Asseio e Segurança (Geasseg)

1995 – Com a aprovação da Lei 9.017/1995, a Polícia Federal passa a fiscalizar o setor de segurança privada. A PF publica a Portaria 992, que normatiza os procedimentos envolvendo as empresas de segurança privada. A Fenavist se associa à CNC.

1998 – Cláudio Neves é eleito presidente da Fenavist (1998-2000). Gestão marcada pelo reconhecimento definitivo do governo em relação a importância da segurança privada. A sede da Federação passa a funcionar no edifício CNC, localizado no centro de Brasília.

2000 – Jerfferson Simões é eleito presidente da Fenavist (2000-2010). Consolidação da entidade no cenário nacional e internacional.

2002 – Pela primeira vez o Congresso Mundial de Segurança Privada é realizado no Brasil. São Paulo-SP foi a sede do evento.

2003 – Elaboração do Custo Unitário Básico (CUB) da Segurança Privada.

2003 – A Fenavist realiza o 1º Congresso de Segurança Nacional, na cidade de Salvador-BA.

2004 – Lançamento do I Estudo do Setor da Segurança Privada (ESSEG)

2005 – Criação do Encontro Nacional das Empresas de Segurança Privada. O 1º ENESP foi realizado em Manaus-AM.

2005 – Lançamento do II Estudo do Setor da Segurança Privada (ESSEG).

2005 – Lançamento do Prêmio Mérito e Benemérito da Segurança Privada Nacional. Primeira edição foi realizada em Salvador-BA.

2007 – 2ª Edição do Prêmio Mérito e Benemérito da Segurança Privada Nacional.

2007 – O Brasil é sede, pela segunda vez, do Congresso Mundial de Segurança Privada. Dessa vez, o evento foi realizado em Salvador-BA.

2009 – A Fenavist adquiri sede própria no Edifício Prime, na região central de Brasília.

2010 – Odair Conceição é eleito presidente da Fenavist (2010-2014). Gestão marcada pela luta pelos direitos do segmento.

2011 – Em Goiânia, no jogo Brasil X Holanda, a Segurança privada começa os testes para atuar nos grandes eventos, como Copa do Mundo e Olimpíada.

2012 – A Fenavist se posiciona em relação às súmulas do TST.

2012 – A Fenavist realiza o X Congresso da Federação Pan-Americana de Segurança Privada, em Curitiba-PR.

2013 – Lançamento do III Estudo do Setor da Segurança Privada (ESSEG).

2013 – A segurança privada é responsável pela segurança interna dos estádios da Copa das Confederações.

2013 – Criação do Prêmio Diretor e Sindicato do ano.

2013 – Criação da Agenda Parlamentar do Setor.

2013 – A Fenavist e os sindicatos mudam a logomarca para se integrarem à identidade nacional da CNC.

2014 –Lançamento do IV Estudo do Setor da Segurança Privada (ESSEG).

2014 – A segurança privada atua na Copa do Mundo.

2014 – Jeferson Nazário é eleito presidente da Fenavist (2014-2018). Atuação marcada pela luta pela aprovação do Estatuto da Segurança Privada.

2015 – Lançamento da campanha Nacional Contra à Clandestinidade.

2015 – É realizada mais uma edição do Prêmio Mérito e Benemérito da Segurança Privada Nacional.

2016 – Criação do Fórum de Segurança Privada.

2016 – A Segurança Privada atua na segurança dos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro.

2016 – Aprovação do Estatuto da Segurança Privada no Plenário da Câmara dos Deputados.

2017 – Lançamento do V Estudo do Setor da Segurança Privada (ESSEG).

2017 – Aprovação do Estatuto da Segurança Privada na Comissão de Assuntos Sociais (CAS) do Senado. Projeto fica a um passo de ser aprovado em definitivo.

2018 – Jeferson Nazário é reeleito presidente da Fenavist (2018-2022).

 

 

 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

X