Integração entre segurança pública e privada é destaque no Enesp Sul

Jantar de confraternização marca abertura do Enesp Sul
24 de outubro de 2019
William Waack analisa momento econômico e político do país durante o Enesp Sul 2019
25 de outubro de 2019

A primeira manhã de trabalhos do Encontro das Empresas de Segurança Privada (Enesp Sul) marcou a abertura oficial do evento. O auditório do Hotel Laghetto Stilo Borges ficou lotado com lideranças sindicais e empresários de todo o país. A mesa de autoridades foi composta pelos presidentes dos Sindesps da região sul: Dilmo Wanderley Berger (Sindesp-SC), Silvio Renato Medeiros Pires (Sindesp-RS) e Alfredo Vieira Ibiapina Neto (Sindesp-PR); o presidente da Fenavist, Jeferson Nazário; o secretário Nacional de Segurança Pública, general Guilherme Gaspar de Oliveira; o subsecretário de Segurança do Estado do Rio Grande do Sul, coronel Marcelo Gomes Frota; o presidente da Federação Mundial de Segurança, Jeferson Simões; e o chefe da Delegacia de Controle de Segurança Privada da Polícia Federal, Marcelo Picarelli.

O presidente do Sindesp-PR, Alfredo Vieira Ibiapina Neto, foi o responsável por dar as boas-vindas aos presentes, “é uma satisfação receber um público tão seleto para discutir o segmento. Os três sindicatos do Sul se uniram para promover um grande evento que ficará marcado na história da Federação. Desejo uma ótima estadia em Gramado e um bom dia de trabalho a todos”.

Dilmo Wanderley Berger, presidente do Sindesp-SC, em seu discurso, destacou a importância do encontro para o debate sobre o setor de segurança, “é uma satisfação para a Região Sul receber o país nesta semana. Esse encontro é muito importante, por ser uma grande oportunidade para discutir o setor e dividir experiências de sucesso em cada estado”.

Para o presidente do Sindesp-RS, Silvio Renato Medeiros Pires, a temática segurança deve ser aprofundada em todo o país, “neste encontro reunimos grandes palestrantes para debater o setor de segurança nacional, tanto público, quanto privado. Precisamos dar mais atenção ao setor privado, com destaque para o Estatuto da Segurança Privada que necessita de uma tramitação mais rápida no Congresso Nacional”.

O presidente da Fenavist, Jeferson Nazário, exaltou a necessidade da integração entre as forças de segurança, “a Federação tem trabalhado intensamente na união entre segurança pública e privada. O combate a criminalidade é de interesse de toda sociedade e deve ser trabalhado em conjunto”.

A primeira palestra do dia foi comandada pelo general Guilherme Gaspar de Oliveira, secretário Nacional de Segurança Pública, com o tema “Senasp – Uma estratégia de segurança integrada”. O general apresentou o modelo de trabalho implementado em 2019 para alavancar o setor de segurança nacional. Focado em três eixos: crime organizado, crimes violentos e corrupção, as ações deram resultados imediatos, com a redução expressiva de 22% da média de crimes violentos no país. “Propusemos uma mudança de cultura organizacional, com projetos estratégicos, como o prêmio de excelência em segurança pública. A próxima fase será uma maior integração com a segurança privada que irá gerar mais autonomia para as empresas atuarem no país”.

Uma das ideias será reformular o marco legal da segurança privada para permitir que o setor colabore com a sociedade, como já realizado em países da Europa e América do Norte. “Temos como missão ampliar os postos onde a privada pode atuar, fazendo com que a Polícia Militar foque nas principais urgências do sistema. Também atuaremos intensamente no combate à clandestinidade”. Um projeto piloto será implantado em Goiânia ainda em 2019. A Polícia Militar e Polícia Federal irão compor a malha fiscalizadora do projeto.

O subsecretário de Segurança do Estado do Rio Grande do Sul, coronel Marcelo Gomes Frota, encerrou a manhã com palestra sobre o “RS Seguro”. O programa estruturante da segurança pública foi implantado pelo estado e já apresenta resultados concretos, com a redução da criminalidade. Segundo o palestrante, passou-se a tratar segurança como um fator fundamental para o desenvolvimento do Rio Grande do Sul, “temos pesquisas que atestam que a segurança é o item que mais afeta a competitividade das empresas. Comprovamos na prática que com investimento, a segurança pública avança e o crime retrai, gerando um melhor ambiente de negócios para todos”. Frota também destacou que a união com a segurança privada é um desafio para o estado que irá trabalhar em três eixos para alcançar o objetivo, “Integração, inteligência e investimento qualificado”.

A integração das seguranças é fundamental para o avanço do segmento e os reflexos serão diretos na sociedade, que terá um país mais seguro, com menores índices de criminalidade. A união entre privada e pública já foi observada em países como Estados Unidos, Chile e Inglaterra, resultando números positivos na redução das taxas de homicídios, entre outros crimes violentos.

O Enesp Sul seguirá durante o período vespertino com mais uma grande atração na programação, o jornalista William Waack, irá palestrar sobre temas como economia, política e a atual inserção do Brasil no mundo.

Fonte: Ascom/Sindesp-SC

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

X