Presidente da Fenavist defende a integração entre as seguranças pública e privada em artigo publicado no site do Estadão

14 de Julho de 2017 às 15:18

A integração entre as seguranças publica e privada como forma de melhorar a vida da população brasileira foi tema de artigo do presidente da Federação Nacional das Empresas de Segurança e Transporte de Valores (Fenavist), Jeferson Nazário. Com o título “Integração entre a segurança pública e privada pode fazer a diferença”, o texto foi publicado no Blog do Jornalista Fausto Macedo, no site do jornal Estado de São Paulo, no último dia 6 de Julho.

No artigo, Jeferson Nazário lembra que a parceria entre publico e privado há muito deixou de ser um conceito para vários setores da economia brasileira. Ele também ressalta que a ideia de união entre as forças de segurança nasceu junto com a segurança privada, já que ela é complementar a segurança pública.

“As empresas de segurança privada atuam no chamado intramuros, ou seja, da rua para dentro. A proteção é preventiva. Este é, justamente, o primeiro ponto que trago a reflexão. Ao atuar na segurança interna de comércios, indústria, condomínios e até de órgãos governamentais, a segurança privada libera o efetivo das forças de segurança oficiais para atuarem nas áreas públicas, no combate de fato da criminalidade”, explica Nazário no texto.

Segundo ele, este é apenas um dos muitos exemplos de que a integração é o caminho a ser seguido. O presidente da Fenavist comprova com números a importância da segurança privada. Jeferson Nazário mostra que, segundo o V Estudo do Setor da Segurança Privada (ESSEG), são quase 600 mil trabalhadores, cerca de 3.600 veículos leves na escolta de cargas em todo Brasil, e outros 4.333 carros-fortes. Além das inúmeras câmeras de segurança que são de responsabilidade das empresas do segmento.

“As imagens das câmeras de circuito de TV, controladas por nossas empresas, podem ajudar a aumentar significativamente os pontos de monitoramento da segurança pública. Nossos vigilantes podem se tornar em olhos, ouvidos e parceiros, ajudando as forças públicas com informações preciosas. Acreditamos que temos muito a colaborar. Basta um chamado, de maneira transparente, das forças de segurança pública que nos prontificamos a contribuir para o combate a violência e a melhoria na vida de toda população.” 

A íntegra do artigo pode ser acessa em

http://politica.estadao.com.br/blogs/fausto-macedo/integracao-entre-a-seguranca-publica-e-privada-pode-fazer-a-diferenca/

Ascom/Fenavist